Plano safra 2018/2019 terá aporte de r$ 194,3 bilhões para custeio e investimento a produtores rurais

O Governo Federal lançou nesta quarta-feira (06) o Plano Agrícola e Pecuário 2018/2019. O volume de recursos que serão alocados a partir de 1º de julho é de R$ 194,3 bilhões, com queda de 1,5% nas taxas de juros de custeio e investimento. Isso significa juros entre 6% e 7% ao ano.

Para o deputado federal Sérgio Souza (MDB-PR), uma notícia que pode ser considerada boa é que do montante de R$ 151,1 bilhões dos recursos alocados para crédito de custeio, boa parte, R$ 118,8 bilhões, é para juros controlados. Ou seja, taxa de crédito rural com juros mais baixos e somente R$ 32,3 bilhões são com juros livres, negociados entre a instituição financeira e o produtor. “Isso dá uma certa tranquilidade ao produtor para operar com juros controlados”, afirmou.

Psicultura passa a poder contar com o Plano Safra

 

Também houve redução das taxas de juros de custeio para 6% ao ano destinada a médios produtores – aqueles com renda bruta anual de até R$ 2 milhões – e para 7% ao ano para os demais.

O crédito para investimento ficou em R$ 40 bilhões. Além do crédito para custeio e para investimentos de R$ 191 bilhões, serão destinados R$ 2,6 bilhões para o apoio à comercialização e R$ 600 milhões para subvenção ao seguro rural. As taxas para os financiamentos de investimento ficaram entre 5,25% e 7,5% ao ano.

Mais medidas

O Plano também prevê a entrada da piscicultura integrada nos financiamentos de custeio, com juros de 7% ao ano. O setor de criação de peixes terá um apoio de R$ 200 mil por criador. “Lutei para que a piscicultura entrasse para o Plano Safra. O Paraná é o maior produtor de tilápia do Brasil e precisávamos de mais incentivo ao setor. Mostrei ao ministro da Agricultura, Blairo Maggi, a necessidade de aporte ao segmento”, destacou Sérgio Souza.

 

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta