Archive for Vale do Ivaí

Treinamento aborda manejo correto de agrotóxicos

Foto: Edson Denobi

Representantes de órgãos públicos e entidades ligadas aos produtores rurais de Apucarana, Novo Itacolomi e Rio Bom participaram nesta terça-feira (17/10), no salão nobre da Prefeitura de Apucarana, de uma capacitação sobre as corretas técnicas de uso e manejo de agrotóxicos, equipamentos de proteção individual, tríplice lavagem e destinação das embalagens de agrotóxico. O treinamento é fruto de um acordo entre o Ministério Público do Paraná (MPPR) e o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Vegetal (Sindiveg) – formado por 37 empresas do setor de defensivos agrícolas -, firmado após ações de fiscalização constatarem vários casos de uso incorreto de agrotóxicos na região de abrangência da Bacia Hidrográfica do Alto Ivaí, composta por 45 municípios.

Na agenda de Apucarana, a iniciativa contou com apoio das secretarias Municipais da Agricultura e a de Meio Ambiente. A abertura dos trabalhos contou com a presença do vice-prefeito de Apucarana, Júnior da Femac, da Promotora de Justiça da Comarca de Campo Mourão e coordenadora Regional da Bacia Hidrográfica do Alto Ivaí, Dra. Rosana Araújo de Sá Ribeiro, do representante do Sindiveg, Paulo Cardoso, do coordenador Estadual de Meio Ambiente da Emater, Edinei Bueno do Nascimento, além do secretário da Agricultura de Apucarana, José Luiz Porto e do diretor de Meio Ambiente de Apucarana, Sérgio Bobig. “A questão dos agrotóxicos é um tema que requer toda atenção, é um assunto do século, moderno. Conheço o trabalho grandioso encabeçado pela Dra. Rosana, por isso digo que Apucarana e região agradecem pelo privilégio de receberem este treinamento. Se não tem como ficar sem o agroquímico, tem o jeito certo de aplicá-lo”, pontuou o vice-prefeito Júnior da Femac.

Ele lembrou que o urbano e o rural interagem em tudo. “Na água, no ar, na questão do alimento. Não adianta a gente achar que se fizemos uma queimada na cidade, ou vice-versa, não irá prejudicar todos os lados. Assim, se o que é produzido no campo não vier legal (contaminado), enche o posto de saúde na cidade. Aí a fundamental importância de eventos de capacitação como estes. Certamente todos vão aprender um pouco mais”, disse Júnior.

Tendo em vista o risco de danos ambientais e à saúde dos agricultores e consumidores de produtos agrícolas, os treinamentos da iniciativa visam contribuir para que os agrotóxicos sejam utilizados corretamente e destinam-se especialmente aos produtores rurais, engenheiros e profissionais que realizam assistência técnica, embora sejam abertos a toda a comunidade. “Importante dizer que não estamos combatendo o uso e sim o mau uso, de forma inadequada ou excessiva”, disse Dra. Rosana, coordenadora Regional da Bacia do Alto Ivaí. Segundo ela, os treinamentos estão sendo realizados em cidades pólos-regionais (Campo Mourão, Apucarana, Ivaiporã, Pitanga, Prudentópolis e Reserva). “Pensamos e atuamos em rede ambiental, traçando diagnóstico de acordo com o perfil de cada região e, a partir daí, trabalhando com projetos. Na questão do agrotóxico, está envolvida não só a questão do Meio Ambiente, mas também a da Saúde Pública, e através deste programa de treinamento pretendemos avançar no sentido de informar técnicos e outras lideranças municipais para que possam replicar os conhecimentos junto ao produtor rural”, explicou a coordenadora.

O secretário Municipal da Agricultura de Apucarana, José Luiz Porto, destacou que a prefeitura vem fazendo sua lição de casa. “Desde o ano de 2014 o assunto agrotóxico é pauta importante em Apucarana. A informação ao agricultor faz parte da nossa política, em especial entre os meses de maio e fevereiro, onde a cada 15 dias disparamos alertas aos produtores sobre o uso racional e sobre as técnicas adequadas de manipulação”, comunicou. Ele também lembrou que através do Programa Municipal Terra Forte, a administração tem incentivado a fruticultura. “Atualmente, temos milhares de mudas de 10 diferentes frutas introduzidas pelo projeto junto aos nossos agricultores familiares, e a conscientização do uso correto do agrotóxico se torna ainda mais fundamental”, concluiu Porto.

Dependendo da topografia da propriedade, da velocidade do vento, do tipo de bico de aplicação, o agrotóxico aplicado inadequadamente pode se expandir em até três quilômetros. Além da fruticultura, as hortaliças são outras culturas suscetíveis ao uso irracional de agrotóxicos. A fitotoxidade pode causar perda total, inclusive com necessidade de erradicação da planta de culturas perenes. “O produtor, quando for usar um agrotóxico, deve buscar sempre a orientação de um agrônomo ou técnico agrícola”, orienta o secretário.

Abrangência – Os municípios que fazem parte da Bacia Hidrográfica do Alto Ivaí são os seguintes: Apucarana, Arapuã, Araruna, Ariranha do Ivaí, Barbosa Ferraz, Boa Ventura de São Roque, Bom Sucesso, Borrazópolis, Califórnia, Cambira, Campo Mourão, Cândido de Abreu, Corumbataí do Sul, Cruzmaltina, Farol, Faxinal, Godoy Moreira, Grandes Rios, Iretama, Ivaiporã, Jandaia do Sul, Janiópolis, Jardim Alegre, Kaloré, Luiziana, Lunardelli, Lidianópolis, Manoel Ribas, Marilândia do Sul, Marumbi, Mato Rico, Mauá da Serra, Nova Tebas, Novo Itacolomi, Peabiru, Pitanga, Prudentópolis, Reserva, Rio Bom, Rio Branco do Ivaí, Roncador, Rosário do Ivaí, Santa Maria do Oeste, São João do Ivaí e São Pedro do Ivaí.

MEIO AMBIENTE – MPPR alerta para impactos negativos de projeto de hidrelétrica no Rio Ivaí

Dados dos impactos ambientais, sociais e econômicos da eventual implantação de uma usina hidrelétrica no Vale do Rio Ivaí serão apresentados por promotores de Justiça do Ministério Público do Paraná em reunião pública que será realizada nesta segunda feira, 31 de julho, no município de Grandes Rios, Norte Central paranaense. O encontro acontecerá a partir das 19 horas, na Casa de Cultura do município.

Conflito ambiental – O projeto da usina hidrelétrica prevê a construção de uma barragem no Rio Ivaí, na região da Corredeira da Jararaca, divisa entre os municípios de Jardim Alegre e Grandes Rios. Segundo estudos do Centro de Apoio das Promotorias de Defesa do Meio Ambiente do MPPR, a compensação financeira recebida pelos municípios será de 1,40% do lucro da energia produzida na usina, valor menor do que os tributos e benefícios econômicos gerados pelas atividades de agricultura e pastagens na região. 

De acordo com os investidores, a previsão é de que a usina tenha potência de 28 megawatts por dia e área de reservatório de 259 hectares, incluindo 182 hectares do leito do rio e outros 77 hectares de propriedades rurais que deverão ser alagadas. “O histórico no estado do Paraná é de que a indenização pela desapropriação de terras inundadas seja subvalorizada”, afirma o promotor de Justiça Robertson Fonseca de Azevedo. “A barragem também pode provocar danos ambientais como extinção de espécies raras que vivem exclusivamente no Rio Ivaí, como esponjas de águas doce, que costumam ser indicadoras de boa qualidade das águas, além de afetar espécies que precisam subir o rio para desovar.”

Em relação à perspectiva de geração de empregos, o Ministério Público alerta para a experiência vivida em outros municípios que tiveram a construção de barragens. “Em geral, trata-se de uma mão de obra barata, contratada de outras regiões, que acaba por superlotar os postos de saúde e causar impactos também na área de segurança pública”, afirma o promotor de Justiça. “A principal orientação nesse momento é para que os gestores e a população da região se informem sobre as reais consequências enfrentadas pelos municípios que tiveram barragens construídas em rios no Paraná”, finaliza.

A implantação da usina hidrelétrica na região dependerá de licença ambiental, em procedimento administrativo que exige a produção de estudo prévio de impacto ambiental e audiências públicas. As reuniões entre empreendedores e a comunidade são prévias ao início do procedimento de licenciamento ambiental.

Lideranças do Vale do Ivaí participam de primeira reunião de Comitê de Desenvolvimento Econômico

Lideranças do Vale do Ivaí participam, na próxima quarta-feira (19), da primeira reunião do Comitê de Desenvolvimento Econômico do Vale do Ivaí. O encontro será realizado a partir das 9 horas no Centro Cultural da Melhor Idade, que fica na Avenida Aparício Bittencourt, anexo ao Jardim Botânico de Ivaiporã. A consultora do Sebrae/PR, Alyne Chicocki, destaca que, para que o desenvolvimento econômico e sustentável do Vale do Ivaí aconteça de forma efetiva, é necessário que as pessoas envolvidas nos pilares estratégicos desse movimento construam, de forma coletiva, soluções territoriais para impulsionar o ambiente de negócios da região, gerando impacto direto nos municípios. A reunião é aberta à imprensa.

 

4 prefeitos podem disputar a eleição para presidência da AMUVI

logo-amuviOs prefeitos eleitos de Ivaiporã, Miguel Amaral, Fábio Hidek Miura, de São João do Ivaí, Adilson Luchetti, Borrazópolis e Emerson Toledo Pires, Cambira, já cogitaram na primeira reunião entre os prefeitos eleitos que vão assumir em 2017 serem candidatos à presidência da AMUVI (Associação dos Municípios do Vale do Ivaí.

“Os 4 candidatos entendem a necessidade de haver consenso e vamos trabalhar para termos uma chapa única”, disse Miguel Amaral.

Governador Beto Richa autoriza construção do Hospital Regional e delegacia cidadã de Ivaiporã, no Vale do Ivaí

Governador Beto Richa assina autorização para licitação da construção do Hospital Regional e Delegacia Cidadã de Ivaiporã. Presentes, o secretário da Justiça e Cidadania, Artagão de Matos Leão Junior, o secretário da Comunicação Social, Marcio Villela, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano e o deputado estadual Alexandre Curi. Ivaiporã, 23/09/2016. Foto: Pedro Ribas/ANPr

O Governo do Estado vai construir o Hospital Regional de Ivaiporã, que será referência para 140 mil pessoas, de 16 municípios da região do Vale do Ivaí. Nesta sexta-feira (23), o governador Beto Richa esteve em Ivaiporã e autorizou a licitação da obra, que receberá investimento de R$ 33,8 milhões. A obra será iniciada ainda em 2016. Richa também autorizou a licitação para construção de uma delegacia cidadã no município.

O novo hospital ocupará terreno doado pela prefeitura, de 13 mil metros quadrados. A área construída terá quase 8 mil metros quadrados. Será um hospital de médio porte, com 104 leitos – dez de UTI adulto, centro cirúrgico e enfermarias, tornando-o um serviço de referência da Rede Paraná Urgência para toda a população da região. O hospital ofertará atendimentos de urgência e emergência, psiquiatria, clínica geral e cirurgias eletivas.

Hoje, o Vale do Ivaí conta com hospitais filantrópicos estrategicamente importantes para o SUS e o novo hospital vai reforçar a oferta de leitos e serviços da rede pública.

MAIS QUALIDADE – Richa disse que Ivaiporã e todo o Vale do Ivaí têm a necessidade de ter um atendimento regionalizado na área da saúde. “Há a necessidade de um atendimento hospitalar no Vale do Ivaí e estamos respondendo a essa reivindicação. O Hospital Regional vai atender a demanda de toda a região, com serviço de qualidade e mais agilidade e, sobretudo, mais humano”. afirmou o governador. Leia Mais

Implantação do Samu regional de Ivaiporã entra na etapa final

tn_9bcb6f9241_samu-ivaiporajpgDurante a inauguração do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) Norte Novo, em Maringá (PR), no final do mês passado, o ministro da saúde Ricardo Barros anunciou recursos para a regionalização e a ampliação do serviço no Paraná, inclusive, para a instalação do Samu na 22ª Regional de Saúde de Ivaiporã. A regional terá bases em Ivaiporã, São João do Ivaí e Manoel Ribas. Segundo informações da regional, faltam apenas alguns ajustes para que o serviço seja finalmente implantado. A expectativa é iniciar o atendimento em novembro.

Desde janeiro, as prefeituras que pertencem a regional e ainda não recebiam o atendimento do Samu passaram a integrar o Consórcio Intermunicipal de Urgência e Emergência do Noroeste do Paraná (Ciuenp), sendo que o teste seletivo para a contratação de profissionais para atuar no Samu da 22ª RS já foi realizado. Quarenta profissionais foram selecionados e serão chamados.

A secretária de saúde de Ivaiporã, Janaina Barbosa relata que nos próximos dias será marcada uma reunião com a Ciuenp para a vistoria da base e assuntos relacionados aos pagamentos das prefeituras. “Assim que ocorrer a vistoria nas três bases já será possível marcar a inauguração”.

Ainda segundo Janaina, em Ivaiporã, as adequações foram todas realizadas.

Leia a matéria completa na edição impressa desta terça-feira (20), do jornal Tribuna do Norte. 

Atleta do Vale do Ivaí vai participar dos Jogos Paralímpicos do Rio

EDEVALDO_PARATLETAO bibliotecário Edevaldo Pereira da Silva, do Colégio Estadual Padre Gualter Farias Negrão, no município de Cruzmaltina, na região do Vale do Ivaí, faz parte da delegação brasileira de atletismo que irá participar dos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro, que serão realizados entre os dias 7 e 18 de setembro.

Para se dedicar exclusivamente aos treinamentos, o atleta recebeu da Secretaria de Estado da Educação o direito ao afastamento das suas atividades educacionais.

No dia 21 deste mês, Edevaldo se apresenta à seleção brasileira de atletismo, para então dar sequência aos treinamentos e para os últimos preparativos antes das competições. No dia 4 de setembro segue junto com a delegação para a cidade do Rio de Janeiro, onde vai competir na categoria de lançamento de dardos. “O afastamento foi um incentivo muito importante porque vou levar a bandeira da educação para o Brasil e para o mundo. Mostrar o apoio do Estado ao nosso esporte”, disse Edevaldo.

O pedido de afastamento, entre os dias 3 e 20 deste mês, para treinamento, e entre os dias 7 e 18 de setembro, para as competições olímpicas, foi feito pelo presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro, Andrew Parsons, à secretária da Educação, professora Ana Seres, que autorizou a liberação do atleta. Leia Mais

Emater apoia ações para o desenvolvimento do turismo rural no Vale do Ivaí

O Instituto Emater, pertencente à Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, e a prefeitura de Lunardelli, com o apoio do programa estadual Pró-Rural, promovem terça-feira (09.08) um Workshop sobre turismo e agricultura familiar do território turístico Vale do Ivaí. O evento reunirá agricultores empreendedores, lideranças e técnicos da região para debater estratégias de organização do setor e de desenvolvimento da produção capazes de contribuir com o crescimento da atividade do turismo rural na região.

A veterinária da Emater em Lunardelli, Liliane da Fonseca, conta que o turismo no espaço rural hoje está consolidado não apenas em seu município como também nos municípios vizinhos. Segundo ela, o próprio Ministério do Turismo reconhece aquela parte do Estado como região Turística, com o nome “Vale do Ivaí de Natureza e Fé”. Leia Mais

Sanepar investe R$ 152 milhões no Vale do Ivaí

Em reunião da Amuvi, Sanepar é reconhecida por investimentos no Vale do Ivaí. Foto: Divulgação Sanepar

Em reunião da Amuvi, Sanepar é reconhecida por investimentos no Vale do Ivaí.
Foto: Divulgação Sanepar

A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) está investindo R$ 152 milhões em municípios do Vale do Ivaí. O valor abrange obras já entregues, entre 2011 e 2016, empreendimentos ainda em andamento e projetos com recursos assegurados. Entre as obras em andamento estão as de ampliação do abastecimento de água em Cambira e Bom Sucesso e de esgoto em São João do Ivaí e Faxinal.

Na sexta-feira (29), durante reunião da Associação dos Municípios do Vale do Ivaí (Amuvi), em Rio Branco do Ivaí, prefeitos da região falaram das obras de saneamento. O diretor de Relações com Investidores da Sanepar, Ney Caldas, também presente no encontro, destacou o esforço da Sanepar para levar os serviços aos pequenos municípios. Leia Mais

Justiça homologa recuperação judicial da Renuka Vale do Ivaí

Fonte Estadão

RenukaA Justiça homologou o plano de recuperação judicial da Renuka Vale do Ivaí, grupo sucroenergético com duas usinas no Paraná. Protocolado em junho na 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo, o documento acabou sendo deferido mesmo sem o consenso de todos os credores. Em assembleia realizada no dia 6 de junho, a chamada Classe 2, aquela que tem créditos assegurados por direitos (garantia real), votou contra a proposta da empresa.

A homologação foi confirmada pelo diretor Jurídico da companhia, Tony Rivera. O plano da Renuka Vale do Ivaí, que administrada as unidades São Pedro e Cambuí, prevê a provisão de recursos para amortizar uma dívida de mais de R$ 700 milhões. O objetivo é amortizar o máximo possível do passivo em 12 meses. As propostas apresentadas no plano incluem desde mudanças no desconto sobre o valor de cada dívida até alongamento do prazo para pagamento das parcelas.

“Diante da existência de dificuldades das recuperandas em cumprir com suas atuais obrigações financeiras, o presente plano de recuperação judicial prevê a realização de medidas que objetivam a geração de fluxo de caixa operacional necessário ao pagamento da dívida reestruturada e à geração de capital de giro e de recursos necessários para a continuidade das atividades”, destaca o pedido da empresa.

A Renuka Vale do Ivaí é controlada pela indiana Shree Renuka Sugars, que também comanda a Renuka do Brasil, esta com duas unidades no interior de São Paulo: Madhu, em Promissão, e Revati, em Brejo Alegre. No caso da Renuka do Brasil, com dívida de R$ 2,3 bilhões, o plano de recuperação judicial ainda é discutido com os credores. Para esta sexta-feira está prevista nova assembleia para deliberar a venda da unidade Madhu, proposta levantada pela própria companhia como forma de quitar o passivo.

No ano-safra 2015/2016, encerrado em março, a Shree Renuka Sugars registrou prejuízo líquido de US$ 42,85 milhões (2,85 bilhões de rupias), montante 3,3% menor ante 2014/2015. Com capital aberto na Bolsa de Mumbai, a empresa teve uma receita líquida de US$ 880,84 milhões (58,62 bilhões de rupias) no ciclo (+2%).A notícia sobre a homologação do plano de recuperação judicial da Renuka Vale do Ivaí fez as ações da Shree Renuka Sugars subir mais de 11% na Bolsa de Mumbai.