Enquete


Você é contra ou a favor da construção de Hidrelétricas no Rio Ivaí?
Favor Contra Votar

resultado parcial…

 

Adicionar a favoritos link permanente.

19 Comments

  1. amador de Carvalho Xavier

    Sou a favor da construção da hidrelétrica, se queremos progresso no País,precisa criar condições e a energia elétrica é fonte propulsora de progresso, para manter o desenvolvimento das indústrias e a geração de emprego

  2. 26/01/2012 – Relatório da CPI das PCHs aponta para cenário negativo no setor
    Relator da CPI das Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) e Usinas Hidrelétricas, deputado Dilmar Dal Bosco (DEM), que finaliza relatórios sobre 63 casos alvo de investigações, confirma um cenário negativo que deverá atingir em cheio o setor de produção de energia elétrica no Estado, com “extensa” lista de pedidos de cassação de licenças ambientais.

    Ele comunica nesta semana o presidente da CPI, deputado Percival Muniz (PPS), sobre as medidas conclusivas. O parlamentar, que questiona o papel da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), recebeu novos documentos do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), que confirma irregularidades em um dos casos mais polêmicos, sobre a PCH Bocaiuva, em Brasnorte.

    O documento do Incra, emitido no dia 23 de janeiro e entregue ao relator dia 24, não apenas confirma a versão do agricultor denunciante, David Perin, em relação as irregularidades que teriam sido cometidas pela empresa Cravari Energia S/A, mas também deixa aberto caminho para comprovação de falhas ainda maiores. O documento destaca ainda que “na construção da PCH Bocaiuva a área permitida foi extrapolada, ou seja, a atual área é a maior do que aquela que foi objeto de desapropriação”.

    Objetivo é concluir a maior parte dos relatórios até o final de fevereiro. O relator encaminhará pedido junto a Sema para resolução de “lacunas” no setor, mas frisa a possibilidade de serem propostas mudanças sobre o modelo de concessão de licenças ambientais, para celeridade dos trabalhos.

  3. Olá amigos, precisamos de empregos para o nosso povo , as usinas no Vale do Ivaí vaão trazer empregos , desenvolvimento para a região, espero que São João do Ivaí seje contemplado.

  4. A questão do pagamento das indenizações pelo menos em Palmital foram pagos da seguinte forma:
    50% á vista e o resto em 6 a 12 parcelas que serão depositados direto na conta do vendedor e após o pagamento final o vendedor assina a escritura definitiva referente a area vendida.
    Eles fazem um CONTRATO DE COMPROMISSO DE COMPRA E VENDA COM CLAUSULA RESOLUTIVA dentro do contrato, isso quer dizer que fica dentro do contrato as parcelas futuras que serão pagas ao vendedor e se proventura não pagarem perde a título de sinal ou arras.

  5. Obrigada pela resposta Roni, mas me diz e esse dinheiro sai na hora eu fica arquivado podendo assim ser pago quando eles bem entenderem….

    Roni vc coloca as palavras muito bem por acaso vc seria advogado?
    Parabens mesmo
    Isso e um elogio!

    • ALBERTO..quanto a questão dos referidos pagamentos,o CLEVERSON deixou claro,funciona exatamente desse jeito.OK.
      Agradeço o elogio,tomei como se fosse mesmo,o interessante da internet é exatamente isso, nos expressamos e muitas vezes expomos nossas idéias, boas ou não, mas o que vale na verdade é quem e o que realmente somos, não sou advogado,mas acho que a formação dessa classe deveria ser revista …cuidados com os seres humanos na ordem jurídica deveriam se assemelharem com cuidados médicos, onde o trabalho é (salvar)e muitas vezes isso não acontece o que esta faltando ? sendo que tudo se torna tão fácil quando há interesse real em executar o serviço com qualidade e satisfação para o cliente, sendo que o mesmo paga caro, e muitas vezes com a própria vida.CARO AMIGO PRECISAMOS HUMANIZAR OS SERES (HUMANOS)

  6. Lembrando que o foco principal não será apenas melhorias para os municípios e nem geração de empregos. Atualmente, a questão do uso consciente dos recursos naturais está muito em evidência e o número de fontes de energia renovável está crescendo em todo o mundo. Os países estão procurando diversificar sua matriz energética, utilizando fontes alternativas e desenvolvendo novas tecnologias para que se possa produzir mais energia com um menor custo, sempre respeitando o meio ambiente. Neste cenário, as pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) têm um destaque relevante, uma vez que cumprem este papel, gerando energia com impactos ambientais menores e mais fáceis de serem amenizados. Para aumentar a participação da energia renovável e incentivar os empreendedores privados a investir neste ramo, o governo brasileiro criou programas, como o Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia (Proinfa). A tendência é que ano após ano essa fonte de energia cresça, tendo uma participação considerável na matriz energética brasileira.

    • Pois é, mas me diga , onde é que uma Usina pode ser considerada fonte de energia renovável e consciente??? Bem ao contrário se trata de uma construção com impacto ruim ao meio ambiente, pois além da diminuição do território às margens do rio, diminui ainda o habitat de muitos animais, diminui espaços produtivos da agricultura e pecuária, diminui a beleza natural do meio ambiente, dentre tantas outras. O preblema é , que se torna bem mais fácil, implantar na cabeça da população que estas construções gerarão emprego e renda, do que implantar a importância de manter o nosso meio ambiente “saudável”. Como todas as Usinas de pequeno porte, só existe geração de emprego ( poucos ) durante sua construção, pois como acontece em Santa Catarina ( mesmo modelo que será implantado aqui), existe alguns funcionários que controlam o funcionamento da mesma, alternandos turnos, e cadê os empregos? eles não existem. Este empreendimento gera empregos como qualquer empresa de pequeno a médio porte da nossa região e não mais que isso; e voltando a questão de fonte de energia sustentável, uma fonte de energia renovável fica bem exemplificada através do uso de energia solar, heólicas, entre outras, e não com usinas hidroelétricas. Boa tarde

      • Para entender o que são as energias renováveis, é preciso subdividir as maneiras de gerar energia elétrica em dois grupos. O primeiro utiliza fontes renováveis (água, sol, vento, biomassa, etc.) e o segundo fontes não renováveis (queima de combustíveis como gasolina, diesel, gás natural, urânio, carvão, etc.). Sendo assim as PCHs são sim,fonte de energia renovável,de baixo impacto ambiental.porem não limpa. entendeu ?

      • CARLA..consciente é apenas o uso que cada um de nós pode dar a energia entre outros na vida tá…

  7. Na verdade, MARTA.. não haverá tantos empregos assim. não os permanentes, o que acontecerá sera uma explosão imediata onde centenas de trabalhadores se amontoarão, e logo que as obras acabem irão embora e a sonhada economia se dilui e desaparece assim como surgiu, ficando poucos funcionários,que cuidarão de tudo com pouca mão de obra e muita tecnologia.
    O beneficio final para os municípios atingidos por eventuais melhorias estará a cargo das prefeituras que tiverem a capacidade de receberem seus royalties referentes aos lucros, algo demorado e muito ,muito burocrático, por isso eu digo….muita calma nessa hora…

    • Obrigada pela atenção Roni. Era isso que queria entender, o Marcio diz ser a favor devido aos empregos, mas na verdade seria empregos “eufóricos” efêmeros e não sei se isso é tão interessante assim para o município e como você bem disse, depois da obra terminada a maioria permanecerá da mesma forma que encontram-se hoje, sem emprego concreto e apenas alguns até bem empregados para a manutenção, sendo até possível esses virem de outras cidades pois vão querer pessoas já capacitadas.
      Mas vamos aguardar não é? Até onde sei, não existe nada concreto ainda, apenas especulações de interessados.

    • ClarOoooo..Exército de mão de obra! Ótima ideia Roni.Qm será mais beneficiado, o vale do Ivaí ou os Investidores?

  8. Alberto o procedimento vai ser o seguinte, vai ter uma empresa que vai procurar os proprietários para comprar a area que vai ser afetada, está area afetada eles chamam popularmente lâmina de água, se por ventura o alagamento comprometer toda area a empresa compra todo o imóvel.
    Via de regra eles pagam entre no minimo 25.000,00 á 60.000,00 por alqueire dependendo a localização, a empresa precisa comprar 51% da area onde vai ser feito a PCH, para quando ocorrer a LICITAÇÃO de construção se por ventura a empresa ganhar já tem area disponivel comprada e se perder a empresa ganhadora da licitação vai ter que comprar a preço exorbitante da que perdeu em torno de mais de 100.000,00 por alqueire.
    São a maioria consórcios de investidores que compram a area para futuramente ganhar em cima esse é o sistem colega.

  9. marcio de lima ramos

    paraaaaaaaaaaaaa sou extremamente a favoorrrrrrrrrrrrr
    tem de fazer simmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm
    imagina que espetaculo que sera torço muito pra isso acontecer
    pois ira empregar muitas pessoasssss

    • Me ajude a entender onde estarão esses tantos empregos? Serão empregos permanentes ou temporários apenas enquanto da implatação e execução do projeto? Não consigo ver onde teremos tantos empregos que ajudarão de fato o município! Só queria entender tudo isso?

  10. mas me diz e como fica os propietarios das fazendas e sitios onde será localizada essa usina…?

  11. As PCHs serão instaladas nos municípios de Doutor Ulysses, Cerro Azul, Nova Cantu, Laranjal, Altamira do Paraná, Mato Rico, Palmital, Roncador, Prudentópolis, Turvo, Guarapuava, Clevelândia e Santa Fé.

    Para que as usinas possam ser construídas, cada empreendedor terá que assumir um compromisso com o IAP de reflorestar a área utilizada para a obra. De acordo com o instituto, para a edificação dos dez novos empreendimentos será desmatada uma área de 658 hectares, sendo que serão reflorestados 1.430 hectares. O investidor também se compromete a preservar as Áreas de Proteção Permanente (APP) próximas às PCH´s, preservando a fauna e flora local.

    As licenças ambientais prévias são para as usinas que serão construídas nas bacias hidrográficas: Ribeira (rio Turvo – PCH das Almas, PCH Ribeirão Bonito, PCH Cachoeira Brava); Piquiri (rio Cantu – PCH Cantu 1, 2 e 3); Ivaí (rio Marrecas – PCH Confluência); e Paraná (rio das Pedras – CGH Enxadrista e no rio São Francisco – CGH São Francisco de Sales). No total, estes empreendimentos terão capacidade de 78 MW.

  12. Caros colegas em nosso País daqui a 10 anos precisamos aumentar a nossa capacidade de energia elétrica em 60%, tudo isso amigos.
    Essas PCHs são pequenas centrais hiderelétricas que a pouco custo e impacto ambiental bem pequeno se comparado com grandes hidrelétricas.
    Tenho propriedade em Palmital e a 2 km abaixo vai ser construída a USINA PCH DO COBRE, já autorizado pelo Governador.
    Os procedimentos para viabilidade do projeto é bem complexo e burocrático, mas a curto prazo em São João do Ivaí é falácia.
    Com certeza vai em torno de 10 anos ou mais para a viabilidade e a concretização da usina entre outras coisa vai mais de 8 anos.
    Essa é a realidade nua e crua amigos, em cima desse resumo que se deve trabalhar.

Deixe uma resposta