Professores da rede estadual aceitam parcialmente proposta do Estado

O Diário Maringá

Em assembleia realizada no último sábado (31), em Curitiba, professores da rede estadual de educação aprovaram proposta de reajuste salarial em três parcelas a partir da data-base, 1° de maio, que vão somar reposição de 19,55%, mas discordam sobre proposta de implantação do 1/3 de hora-atividade.

De acordo com a presidente da APP-Sindicato de Maringá, Vilma Garcia da Silva, a implantação dos 33% da carga horária destinada a atividades fora de sala de aula até 2014 não corresponde às expectativas da categoria.

“Hoje temos apenas 20% de hora-atividade, enquanto a Lei Nacional do Piso do Magistério fala em 1/3, ou 33%. Não aceitamos adiar para conseguirmos este direito apenas em 2014, então aprovamos uma pauta de mobilização estadual para pressionar o governo”, explicou Vilma.

Entre as mobilizações aprovadas na assembleia estadual, que contou com cerca de 1.500 professores, estão uma paralisação no dia 26 de abril, com atos regionais, e uma nova assembleia estadual da APP para o dia 5 de maio.

Quanto à proposta salarial, os educadores exigem que o governo faça o pagamento do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN) com retroatividade a janeiro, assim como determina a lei. Com relação aos salários dos funcionários de escola, a categoria reivindica aumento real de 7,16%, ainda no mês de abril, para o segmento (além dos 6,5% da data-base em maio).

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta