Supeito da morte de menina em Sarandi é liberado por falta de provas

Do Odiário.com

Um pedreiro, de 44 anos, detido na tarde desta quarta-feira (20), sob a acusação de ter estuprado e esganado a menina Beatriz Silva Pacheco Gonçalves, 10 anos, foi ouvido e liberado após ser interrogado na Polícia Civil de Sarandi. Ele se apresentou espontaneamente após ser denunciado pela própria enteada.

Segundo ela relatou aos policiais, ele chegou em casa por volta das 11h30 de segunda-feira (18) com as roupas sujas, embriagado e com marcas de arranhões nos braços e nas costas. Ela também contou que ele chegou de bicicleta azul, aparentava nervosismo e teria confidenciado que havia feito uma “coisa muito grave.” As características físicas do suspeito também coincidem com as relatada pelo primo da menina Beatriz, que viu o acusado.

Em conversas informais na delegacia, o suspeito entrou em contradição várias vezes. Ele confirmou ter ido a Sarandi no domingo e disse que passou a tarde bebendo em um bar. No entanto, não se lembrava do que havia feito depois disso.

Dois meninos que afirmam ter presenciado o rapto de Beatriz foram chamados para fazer o reconhecimento. Enquanto um reconheceu apenas a camisa, outro apontou o pedreiro como sendo a pessoa que estava com a menina em um Gol branco. A polícia afirmou que o pedreiro possui apenas um Fiat Prêmio preto e um Fusca branco.

Pouco antes do reconhecimento, o pedreiro lembrou que havia passado a tarde e parte da noite de domingo num bar em Sarandi, e apresentou nomes de três pessoas que poderiam confirmar o álibi.

Localizadas, as testemunhas confirmaram a versão. Diante da situação, a polícia decidiu liberar o pedreiro por volta das 21 horas.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta