Polícia Civil desvenda homicídio ocorrido em Roncador e apresenta suspeito do crime

Do Site Ta SAbendo

O delegado-chefe da 16ª Subdivisão Policial de Campo Mourão, Dr. José Aparecido Jacovós, convocou a imprensa na manhã desta sexta-feira (24) para esclarecer as circunstâncias em que ocorreu a morte do garoto E. C. dos S., de apenas 15 anos, brutalmente assassinado na madrugada da última terça-feira (22) na cidade de Roncador. Durante a entrevista, o delegado  apresentou o jovem Valdir Hack, de 22 anos, como sendo um dos autores do crime. O acusado já tem passagens por brigas e uso de drogas.

Segundo o delegado,  ao contrário das primeiras informações,  o crime foi passional. “O garoto estava se relacionando com a ex-namorada do suspeito que já o teria ameaçado várias vezes, inclusive através de uma carta”, conta o delegado. “No dia do crime testemunhas informaram ter visto a vítima embarcando em um veículo VW/Gol, onde estavam o suspeito e mais outra pessoa. Nessa ocasião a irmã da vítima o teria advertido sobre embarcar no veículo onde estava seu inimigo”, continua. “Além disso, foi encontrado um anel na cena do crime e os investigadores conseguiram a informação de que ele seria do suspeito, fato esse confirmado pelo próprio irmão do suspeito”, informou Jacovós.

Informações preliminares apontavam o pai do garoto, Osvaldo dos Santos, como suspeito, tendo inclusive sido preso ao comparecer a delegacia de Iretama para prestar depoimento. Sobre isso o delegado explicou que a prisão é em conseqüência de outra situação e que “em nenhum momento ele foi considerado suspeito da morte do filho”. Já no caso da mãe, Rosa Maria Jerônimo da Silva, comprovou-se que ela não havia pousado na casa, fato que ela tentou esconder por motivos que constam em seu depoimento.

Nesta quinta-feira (23) os investigadores da Polícia Civil de Iretama localizaram o prenderam o suspeito, que ao ser apresentado, negou que tenha sido o autor do homicídio e admitiu conhecer o garoto, mas que não tinha qualquer problema em relação a ele. Valdir disse ainda que não esteve com a vítima no dia do crime. “Eu estava ajudando a minha mãe a fazer uma mudança e depois fui a um bar”, afirmou. Perguntado sobre as escoriações que tinha nas mãos ele disse que eram provenientes de uma briga anterior. “Não sei porque estou preso aqui, a polícia deveria ir em busca de quem estava no carro em que o menino foi visto embarcando, eu não tenho nada com isso”, completou.

Mas, para a Polícia Civil, o caso já está esclarecido e agora está a procura do outro elemento que estava no carro que pode ter tido participação no crime. “Suspeitamos que o garoto tenha sido morto em outro local e o levaram para a casa, onde deixaram o corpo em uma posição que sugerisse abuso sexual, para incriminar possivelmente o pai, já que todos sabem de seus problemas anteriores”, comentou Jacovós. “O veículo envolvido no crime já está apreendido e passará por perícia, quanto ao garoto, estamos aguardando os laudos do IML para confirmar se o abuso sexual aconteceu ou não”, finalizou.

O acusado foi transferido para a 16ª SDP em Campo Mourão onde ficará aguardando a decisão da justiça. “Ele foi preso ainda em flagrante pelo crime, e esperamos que o juiz decrete a sua prisão preventiva”, informou o delegado.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta