Paraná promete eliminar exclusão elétrica ainda em 2013

Da Gazeta do Povo

tn_311_600_luzparatodos3_220313Em pleno século 21, pouco mais de 10 mil paranaenses ainda vivem às escuras, sem a oportunidade de tomar um banho de chuveiro ou mesmo assistir à novela na tevê. Eles moram nos 3,5 mil domicílios do estado que ainda não têm ligação elétrica e devem, segundo o comitê local do programa federal Luz para Todos, receber essa infraestrutura básica ainda neste ano. Essas casas estão localizadas em áreas rurais de 47 municípios espalhados por todas as regiões do Paraná (veja infográfico abaixo).

A lavradora Linair Leal, por exemplo, passou 24 dos seus 25 anos de vida sem saber o que é ter energia elétrica em casa. Ela mora na região conhecida como Ribeirão das Rosas, em Cerro Azul, município de pouco mais de 17 mil habitantes na Região Metropolitana de Curitiba. Só soube o que era ter uma casa iluminada quando se mudou com o marido para a cidade vizinha de Doutor Ulisses, em 2011. Nessa época, comprou rádio, tevê e geladeira. Mas a novidade durou poucos meses – Linair ficou viúva e precisou voltar a Ribeirão das Rosas.

Hoje, sem luz, os equipamentos têm utilidade bem diferente para a qual foram projetados. Uns servem como apoio. Já a geladeira guarda quatro pares de sapato. “A Copel veio aqui há uns três anos tirar medidas para a instalação. Estou aguardando”, diz ela, que mora com a filha de 4 anos, a irmã e uma sobrinha em uma casa de madeira à beira da estrada. A residência dela, porém, não está na lista de unidades contratadas para receber a instalação, pois, segundo os dados cadastrais da companhia, o município de Cerro Azul é um dos “universalizados”, ou seja, onde todos já têm acesso à luz elétrica.

Em todo o país, 967.413 residências ainda não contam com instalação elétrica, segundo levantamento da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) nas 16 distribuidoras estaduais de energia que ainda não universalizaram o atendimento. Esse número é quase três maior do que a estimativa do Censo de 2010 (377.722), com a qual o Ministério de Minas e Energia trabalha para cumprir a meta de zerar a exclusão elétrica no país até o final deste ano.

Fora da conta

As cerca de 3,5 mil famílias paranaenses não estão incluídas no estudo da Aneel porque o Paraná – assim como outros 11 estados e o Distrito Federal – superou o índice de 95% dos domicílios atendidos com instalação elétrica e, por isso, já universalizou o acesso.

Moradora de Cerro Azul cria 6 filhos no escuro

Apesar de não estar na lista de moradores que serão atendidos pela Copel neste ano, Lindamir Maria Carvalho, 31 anos, ainda tem esperanças de ser contemplada pelo programa Luz para Todos. A lavradora mora com o marido e seis filhos em uma casa de três cômodos de Ribeirão das Rosas, em Cerro Azul, na Grande Curitiba. “Tenho de andar quase quatro quilômetros para ir ao supermercado e não posso trazer nada além de sal porque senão estraga. Mas quem sabe eles não trazem logo a luz para cá”, diz Lindamir, que assiste à televisão apenas quando vai à casa dos avós de seus filhos.

A primogênita da família, Marisete Carvalho Leal, 15 anos, também aguarda ansiosa. “São minhas amigas na escola que me contam o que passa na televisão. Tomara que chegue logo, porque só temos um radinho de pilha, que quase não funciona”, conta.

Segundo o engenheiro elétrico Fernando Gruppelli, gerente de Projetos e Obras da Copel, é possível que domicílios sem energia elétrica não estejam na lista do programa federal, mas isso não significa que eles não serão atendidos. “Trabalhamos com as informações repassadas pelas prefeituras. De qualquer forma, basta que a moradora procure uma agência da Copel. O prazo para instalação em áreas rurais é de até 180 dias”, explica.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta