CLIMA: Chuva reforça perspectiva positiva para safra de inverno na área de ação da Coamo

A chuva dos últimos dias tem trazido alento ao campo. Depois de quase 30 dias sem precipitações em algumas regiões, voltou a chover em boa parte da área de ação da Coamo, deixando os produtores de milho safrinha e trigo mais tranqüilos.

O maior volume aconteceu entre domingo e terça-feira deste semana. Contudo, estão ocorrendo pancadas de chuva isoladas nos últimos 14 dias em várias regiões.

ABUNDANCIA NO OESTE E MS – A maior incidência aconteceu na região de Toledo, no Oeste paranaense, onde os produtores apostam firme no milho de segunda safra. No total, a média geral foi de 134 milímetros, sendo que em nenhum dos municípios onde a Coamo está presente por lá, choveu menos que 100 milímetros.

Outra região onde não faltou chuva foi o Mato Grosso do Sul, onde a Coamo está presente em Caarapó, Laguna Carapã, Aral Moreira, Amambaí e Jaguartê. Lá o volume médio de chuva chegou a 111 milímetros nos últimos dias, praticamente garantindo a produtividade do milho safrinha.

BAIXA PRECIPITAÇÃO NO CENTRO-NORTE – Em contra partida na região Centro-Norte, a média não ultrapassou 25 milímetros. Candido de Abreu é o município onde menos choveu nos últimos dias dentro da área de ação da cooperativa. Foram seis milímetros de precipitação desde o inicio do mês de maio.

Na região Vale do Ivaí (Norte), que compreende os municípios de Fênix, São João do Ivaí até Engenheiro Beltrão, a média foi de 40 milímetros. No Noroeste, onde estão concentrados os municípios de Luiziana, Mamborê, Araruna e Corumbataí do Sul, a média foi de 62 milímetros. No Centro-Oeste, que engloba as cidades de Boa Esperança, Goioerê, Moreira Sales, Juranda e Janiópolis a precipitação média foi de 93 milímetros.

Já no Centro do Paraná, onde estão Pitanga, Palmital, Altamira e Boa Ventura, choveu 38 milímetros na média. No Centro-Sul, o volume foi de 49 milímetros. Nesta região estão os municípios de Candói, Cantagalo, Pinhão e Guarapuava, entre outros. No Sul (Sudoeste do Paraná e Extremo-Oeste de Santa Catarina), onde concentram-se as regiões de Abelardo Luz e São Domingos-SC, Mangueirinha, Palmas e Coronel Vivida-PR, a média foi de 40 milímetros.

Conforme o gerente de assistência técnica da Coamo, Marcelo Sumiya, por hora a volume é suficiente para o desenvolvimento das culturas de inverno. “No geral a chuva foi muito boa na região da Coamo. No Oeste do Paraná e em Mato Grosso do Sul, por enquanto, o volume é adequado para manter o milho safrinha e o trigo em boas condições. Na área de ação da cooperativa podemos dizer que pelo menos 40% do milho segunda safra já está garantido”, constata Sumiya.

ÁREA E PERSPECTIVA DE PRODUÇÃO – Em toda Coamo estão sendo cultivados pelos cooperados uma área de 800 mil hectares de milho safrinha, com perspectiva de produção de 4.800 quilos por hectare. O trigo está semeado em uma área de 250 mil hectares e a previsão de colheita é de 2.700 quilos por hectare.

 

Wilson Bibiano Lima
Assessoria de Imprensa Coamo
Campo Mourão (PR)

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta