Mariceli Bernini: Tratamento da Ansiedade – parte 2

Mariceli BerniniO nível de ansiedade que uma pessoa pode suportar relaciona-se com o seu histórico de vida e com sua personalidade. E quando o nível de ansiedade extrapola o suportável para uma pessoa, é hora de procurar ajuda profissional, já que estados ansiosos freqüentes e constantes podem se converter em doenças emocionais e físicas ainda mais sérias. Os sintomas da ansiedade são tão incômodos que geralmente as pessoas de descobrem incapazes de trabalhar de modo eficaz, ter vida social, viajar ou manter relações afetivas estáveis.

Atualmente o tratamento da ansiedade dispõe de opções farmacológicas (medicamentos) e intervenções psicológicas. A psicoterapia tem por objetivo libertar as pessoas que sofrem por conta da ansiedade dos esquemas aprisionantes de seus pensamentos e alterar seus comportamentos em relação aos fatores desencadeantes da ansiedade. Alguns fatores são determinantes para o tratamento, o psicólogo investiga por que a pessoa não está tendo habilidade de se adaptar aos fatores estressantes fazendo com que sua ansiedade seja muito alta e também verifica se a sensibilidade da pessoa está temporariamente muito acentuada, a ponto de transformar fatos corriqueiros em fatos estressantes.

Também é possível que ocorra a combinação de várias causas, a partir daí a psicoterapia auxilia a diminuir os sintomas para que a pessoa possa ter condições de readquirir segurança. O tratamento psicológico fortalece a pessoa para que ela seja capaz de suportar com firmeza aquilo que provocaria ansiedade anormal nela. É importante que durante o tratamento a pessoa, com a ajuda do psicólogo, resolva seus conflitos íntimos, pois o autoconhecimento é fator determinante para a solução dos problemas.

Em alguns casos, o psicólogo encaminha a pessoa para o psiquiatra, para que este médico dê um medicamento para auxiliar o tratamento psicoterapêutico, e este medicamento pode ser um antidepressivo ou um ansiolítico. Somente tomar o medicamento e não buscar dentro de si as causas do problema pode não ser eficaz, já que semanas ou meses após a retirada da medicação há possibilidades de recaída. Por isso, a importância do tratamento psicológico. É muito importante a pessoa ter consciência de que, em alguns momentos da vida, é necessário procurar ajuda de um psicólogo, pois é este profissional que estuda e está capacitado efetuar um tratamento neste sentido.

Modificar padrões de pensamento e mudar hábitos são duas atitudes fundamentais para que o tratamento psicológico seja próspero. Neste sentido, o paciente é estimulado a:

VER AS COISAS DE MANEIRA MAIS REALISTA:

Usar fatos e não sentimentos para fazer previsões;

Preferir probabilidades e não possibilidades;

Compreender que ser realista é melhor que ser pessimista.

NORMALIZAR AS CONSEQUÊNCIAS:

Compreender que os alarmes falsos, medos e inseguranças não correspondem à realidade;

Aceitação de que a ansiedade provoca reações de cansaço e este fato é importante ser tratado.

ABANDONAR A NECESSIDADE DE SE CONTROLAR:

Não há necessidade de controlar a mente e nem os sentimentos, pois quando somos pressionados a ter este controle, a ansiedade para obter este controle, aumenta;

Pensamentos mágicos aumentam a ansiedade, é importante pensar racionalmente;

Aceitação e compreensão de que você é capaz de resolver seus problemas na vida real e não fantasiar a solução deles.

ADMITIR E ASSUMIR O MAL-ESTAR:

Não vá “empurrando com a barriga” o mal-estar que você sente, procure ajuda profissional.

E por último, a ansiedade pode estar ligada a algum medo que mascara alguma preocupação mais profunda e menos aceitável. Buscar a compreensão para medos, angústias, inseguranças, complexos, traumas e situações conflitavas permite iniciar uma mudança do fortalecimento do mundo mental e a diminuição ou interrupção dos estados ansiosos.

É sempre importante lembrar que a vida mental deve ser cuidada atenciosa e amorosamente, quando algo não vai bem em relação aos sentimentos e sensações todo o restante passa a não ter  tanto sentido. Importante também lembrar que a principal e primeira atitude para uma vida mais feliz é a tomada de consciência de que, se algo não vai bem, é necessária a mudança.

Aproveite as oportunidades que a vida oferece a você e seja quem seu coração pede para você ser.

Mariceli Bernini é psicóloga formada pela Universidade Estadual de Londrina e possui Consultório de Psicologia em São João do Ivaí.

 

 

 

 

 

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta