Dr. Sérgio Ricardo Montero: Câncer de Boca

Dr. SergioO câncer de boca ocupa um lugar de destaque entre as neoplasias mais frequentes no ser humano, estando entre as dez primeiras. Em algumas regiões sua incidência o coloca entre as cinco primeiras posições. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, os tumores de cabeça e pescoço têm alta incidência em várias regiões do mundo, inclusive no Brasil. Ele atinge principalmente indivíduos do sexo masculino com mais de 50 anos. Entre os principais fatores de risco para o surgimento do câncer na boca estão o tabagismo, o etilismo, exposição excessiva aos raios do sol e as infecções bucais pelo HPV. Quem tem o hábito de ingerir bebidas alcoólicas e fumar, apresenta um risco 30 vezes maior de desenvolver câncer na boca, em relação a quem não possui esses hábitos.

Na grande maioria dos casos, a neoplasia aparece como uma ferida irregular de crescimento contínuo e sem apresentar melhora no prazo de 20 dias. Geralmente a lesão é indolor no começo. A presença de caroços no pescoço ou na boca, ou ainda o surgimento de “carnes crescidas” na boca, devem ser investigados.

O diagnóstico do câncer é rápido e seguro. É importante ressaltar que o próprio indivíduo deve fazer um auto-exame diante do espelho, pelo menos uma vez por mês, procurando por feridas estranhas na cavidade bucal. Quando necessário, o profissional poderá realizar uma biópsia da ferida para confirmar o diagnóstico.

Na maioria das vezes, a prevenção do câncer de boca depende somente do indivíduo, portanto, é importante não fumar, evitar bebidas alcoólicas, proteger-se dos raios do sol (usar boné, chapéu, protetor solar e labial), trocar próteses traumáticas, eliminar raízes residuais e dentes quebrados, manter sempre uma higienização bucal adequada, ter uma alimentação saudável, executar o auto-exame periodicamente, consultar regularmente um Cirurgião Dentista e, o mais importante, procurar por este profissional quando encontrar alguma irregularidade na boca.

As áreas mais comprometidas pelo câncer de boca são: os lábios (principalmente o inferior), bordas laterais da língua, assoalho da boca (embaixo da língua), gengivas, palato duro (céu da boca) e palato mole (região da garganta).

Não se esqueça: sempre procure por um profissional quando suspeitar de algo estranho na boca ou no seu entorno. É muito melhor ouvir um “não é nada” do que o “se você tivesse me procurado antes”.

Dr. Sérgio Ricardo Montero

Cirurgião Dentista, Clínico Geral, Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial e Habilitado em Laserterapia. São João do Ivaí – PR.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta