Dr. Sérgio Ricardo Montero: Sensibilidade de Colo Dentário ou Hipersensibilidade Dentária

Dr. SergioA hipersensibilidade dentinária é caracterizada por uma dor que ocorre na região do colo do dente, próximo a gengiva, sendo desencadeada, na maioria das vezes, pela escovação, ingestão de alimentos frios, doces ou frutas cítricas. A dor é de curta duração, tendendo a desaparecer com a mesma rapidez com que se inicia assim que o estímulo for removido.

A cora do dente é recoberta pelo esmalte, estrutura resistente às pressões e ao desgaste decorrentes da mastigação. Essa estrutura é praticamente impermeável e definitivamente insensível aos estímulos. As raízes são recobertas por outro tipo de estrutura, denominada cemento. O esmalte e o cemento sofrem degradações com o passar do tempo, provocando a exposição da dentina. A dentina forma a maior parte do dente, sendo ela também bastante dura, mas muito porosa. Essa porosidade é caracterizada por milhões de canais microscópicos que se comunicam com a polpa dentária (nervo do dente). Ao ficar exposta, sem a proteção do esmalte ou do cemento, a porosidade da dentina passa a permitir uma comunicação do meio externo com o nervo dentário. É essa comunicação que provoca a dor, quando estimulada. Fazendo uma analogia, é como quando arranhamos a pele por sobre a roupa, pois não doe como arranhar diretamente a pele, mas sentimos o arranhão.

A degradação do esmalte e do cemento é o resultado de uma interação de fatores, sendo que os mais significativos são a oclusão dentária (contato entre os dentes superiores e inferiores), a alimentação rica em ácidos (frutas cítricas e refrigerantes em excesso) e a escovação dental. A oclusão promove a fadiga das estruturas dentárias na região do colo, as substâncias ácidas causam dissolução do esmalte e a escovação remove mecanicamente o esmalte enfraquecido ou dissolvido. Algumas doenças também podem contribuir para a degradação das estruturas dentárias, tais como refluxo gastroesofágico, bulimia, hipertireoidismo ou qualquer outra doença que reduza o fluxo salivar.

O sucesso do tratamento dessa sensibilidade depende do diagnóstico e eliminação do fator que causa a degradação dentária, para só então se empregar os recursos dessensibilizadores. Quem sofre desse problema deve consultar um dentista para fazer o diagnóstico. Após a eliminação do fator causal, o tipo de tratamento irá depender do grau de degradação das estruturas dentárias, podendo variar desde o uso de agentes dessensibilizadores até a realização de restaurações. A dor irá retornar se a degradação persistir, independentemente do tratamento adotado.

Dr. Sérgio Ricardo Montero

Cirurgião Dentista, Clínico Geral, Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial e Habilitado em Laserterapia. São João do Ivaí – PR.

 

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta