Um ano após eleições, 2º colocado assume prefeitura em Jandaia do Sul

Do G1

jandaiaO segundo colocado nas eleições municipais de 2012 em Jandaia do Sul, no norte do Paraná, Benedito José Pupio (PSC), assumiu a prefeitura da cidade nesta segunda-feira (21). Ele tomou posse do cargo após o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) cassar os mandados do prefeito Dejair Valério (PTC), e do vice, Leandro de Souza Silva (PSB), em setembro. Pupio foi empossado junto com o vice-prefeito, Cir Albieri (PDT), durante cerimônia realizada na Câmara Municipal no domingo (20).

Segundo o processo do TRE, Dejair Valério e Leandro de Souza Silva teriam sido beneficiados pelo ex-prefeito da cidade José Borba (PP) durante a campanha eleitoral de 2012. De acordo com o processo, Borba aumentou o salário dos servidores durante o período eleitoral e isso fez com que Valério, que na época era vice-prefeito de Borba, fosse eleito.

Ainda conforme o TRE, Borba isentou o imposto de transferência de imóveis (ITBI) para 263 pessoas que compraram casas em um dos conjuntos habitacionais da cidade. A isenção é proibida por lei durante período eleitoral e, segundo o processo, também beneficiou a eleição de Valério. O atual prefeito de Jandaia do Sul foi declarado inelegível até outubro de 2020 e multado em R$ 20 mil.

Nas eleições para prefeito de Jandaia do Sul, em 2012, Benedito Pupio teve 5.233 votos (40,08%), enquanto Dejair Valério recebeu 6.110 votos (46,8%).

No primeiro dia no cargo, Pupio se reuniu com secretários e vereadores para tomar conhecimento da situação atual da prefeitura. “Estamos nos reunindo e já percebemos que podemos ter uma dificuldade financeira no caixa da prefeitura até o final do ano, pois boa parte da verba já está comprometida com obras. Talvez tenhamos que fazer um plano de contenção para organizar isso. Porém, vamos dar sequência aos projetos que estão em andamento”, apontou o novo prefeito de Jandaia do Sul.

Dejair Valério informou que irá recorrer da decisão junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), assim como deve tentar uma liminar na Justiça para voltar ao cargo. “Não participei de nada do que foi apontado pelo TRE, e estou pagando por isso. Vou buscar provar minha inocência na Justiça”, disse.

O ex-prefeito José Borba não foi localizado pelo G1 para comentar sobre o assunto até a publicação desta reportagem.

Condenado no mensalão
O ex-prefeito e também ex-deputado federal pelo PMDB José Borba foi condenado a 2 anos e 6 meses, pelo crime de corrupção passiva (receber vantagem indevida) no julgamento do mensalão. A punição foi convertida em pena restritiva de direitos, com impossibilidade de assumir cargo ou função pública e interdição temporária de direitos pelo prazo da pena restritiva de liberdade. Ele também terá que pagar multa de R$ 360 mil. Em agosto de 2013, o Supremo Tribunal Federal rejeitou por unanimidade recursos da defesa de Borba.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta