Dr. Sérgio Ricardo Montero: Tratamento de Canal (Endodôntico)

Dr. SergioO tratamento do canal da raiz dentária consiste na retirada da polpa do dente, que é um tecido encontrado em sua parte interna. A polpa necessita ser removida quando se apresenta danificada, infeccionada ou morta. Uma vez que a polpa foi removida, o espaço resultante deve ser limpo, preparado e preenchido. Este procedimento veda o canal. Antigamente, os dentes com polpas infeccionadas ou mortificadas eram extraídos. Hoje em dia, um tratamento de canal salva muitos dentes que de outra forma teriam sido perdidos.
Os casos mais comuns de polpa infeccionada ou morta são:

– Dente quebrado
– Cárie profunda
– Dano ao dente, como um trauma forte, seja ele recente ou mais antigo.

Se a polpa que estiver infeccionada ou morta não for tratada, poderá se formar pus entre a ponta da raiz e o osso alveolar, criando um abscesso. O abscesso pode destruir o osso que circunda o dente, causando dor.

O tratamento de canal é feito em várias etapas, realizadas em uma ou várias visitas ao consultório, dependendo do caso. São elas:

– Abertura na coroa do dente.
– Em seguida a polpa é removida (pulpectomia). O espaço pulpar e os canais são esvaziados, alargados e limados, em preparação para o seu preenchimento.
– Se mais de uma visita for necessária, é colocada uma medicação no interior do canal e uma restauração temporária é feita na abertura da coroa.
– Na sessão seguinte a restauração temporária é removida e a cavidade da polpa e do canal são preenchidos permanentemente.
– Na etapa final, poderá ser feita uma restauração ou uma coroa (prótese) sobre o dente, dependendo do tamanho da destruição dentária. Se o dente estiver fraturado ou muito danificado, pode ser necessário colocar um pino cimentado no canal antes da confecção da restauração ou da coroa.

Os dentes recuperados podem durar a vida toda quando tratados e acompanhados adequadamente. Pelo fato de ainda ser possível o aparecimento de cáries em um dente tratado, uma boa higiene bucal e exames dentários regulares se fazem necessários, a fim de evitar problemas futuros, como a perda do dente remanescente por uma grande cárie. Os dentes tratados endodonticamente não possuem inervação, portanto o indivíduo não sentirá mais dor quando da presença de uma nova cárie, só sendo possível a sua detecção inicial quando examinada por um dentista. O indivíduo só irá perceber a presença da cárie quando ela estiver muito grande e aí pode ser tarde.

Para se determinar o sucesso ou fracasso do tratamento de canal, o método mais confiável é comparar novas radiografias com aquelas tiradas antes do tratamento. Esta comparação mostrará se o osso continua sendo destruído ou se está sendo regenerado.

 

Dr. Sérgio Ricardo Montero

Cirurgião Dentista, Clínico Geral, Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial e Habilitado em Laserterapia. São João do Ivaí – PR.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta