Mariceli Bernini: Inveja, Transformando-a em Autoconhecimento

MariceliA inveja é um sentimento presente na vida de todo ser humano. Alguns a têm em níveis discretos, já outros a possuem em níveis elevados, a ponto de levar o “invejoso” a atacar coisas ou mesmo pessoas alvos deste seu sentimento.

A inveja provém da vaidade, que é o prazer que uma pessoa sente em se exibir para chamar a atenção, quando ela se sente o centro das atenções sua vaidade atua, mas quando ela vê alguma situação em que outra pessoa agiu de maneira a chamar mais a atenção que ela, se sente diminuída, desprestigiada, tratada com descaso, “por baixo”, e isto causa a inveja.

Outra causa da inveja é a comparação. Querendo ou não, muitas vezes as pessoas se comparam com outras ao seu redor, analisando quem está melhor, quem está pior, quem está “se dando bem”, enfim, a pessoa se compara e percebe que outra pessoa está em uma posição melhor que a dela, isso pode gerar uma posição de rebaixamento, uma sensação de “estar por baixo”, uma sensação ruim, uma humilhação por comparação de estar em uma posição “pior” que a outra pessoa. Mesmo que uma pessoa não tenha feito absolutamente nada para o invejoso, este se sente agredido pela situação de se sentir humilhado pelo que considera como sendo uma desvantagem em relação à pessoa pela qual ele sente inveja, ou pela situação de acompanhar o sucesso que uma pessoa tem, e que é maior que o dela, é uma sensação de estar pior e é como se ela se sentisse ofendia, agredida em sua vaidade, o que provoca uma reação agressiva. 

Isto explica o fato de que quando uma pessoa tem, por exemplo, sucesso profissional ou se sobressai na questão financeira, ou mesmo é feliz afetivamente falando, o invejoso usa da maledicência ou usa outros meios para atacar e “derrubar”, diminuir a pessoa que é o alvo de sua inveja.

O simples fato de uma pessoa perceber que outra está em uma posição melhor que a dela causa uma sensação de estar sendo ofendida, atacada, desvalorizada, e para isso a pessoa invejada não precisa fazer nada, apenas ter sucesso. Tudo isso deriva da vaidade e da comparação, que por sua vez causa uma sensação de humilhação.

De acordo com a personalidade e o caráter de cada um, o que varia de pessoa para pessoa, é que ela vai reagir à inveja que está sentindo. Normalmente o invejoso,  quando percebe que o invejado não provoca a inveja de propósito, começa a fazer comentários maldosos e brincadeiras de mal gosto cujo foco é o invejado.

Uma reação saudável daquele que sente inveja é a de se afastar da pessoa invejada, já que a inveja está presente na vida de todos os seres humanos. Ms algumas pessoas que estão em desequilíbrio não conseguem se conter e agem de maneira a querer “acabar” com o sucesso daquele por quem sente inveja. Como é o caso das críticas destrutivas, dos comentários inúteis, das fofocas, maledicência, das “puxadas de tapetes”, de algumas traições, das brincadeiras ofensivas, etc.
Como tudo na vida tem um lado bom, a inveja pode servir como um ensinamento para o invejoso, pois pode levá-lo a se conhecer melhor, já que aquilo que uma pessoa inveja é sempre algo que ela quer muito para ela mesma. Ninguém inveja uma pessoa cuja vida está caminhando para a falência e nem cujos projetos de vida tem fracassado.

É essencial que todas as pessoas aprendam a conviver com seus sentimentos, neste caso, a inveja, para que este sentimento não tome conta da sua parte racional ou emocional, e desse modo venha a destruír a si própria.
Então, quando uma pessoa te atacar “do nada”, saiba que você é alvo de inveja dela, principalmente se suas boas ações provocaram esta reação nela.

E para você que tem o hábito de atacar as pessoas em suas atitudes, tente compreender a si mesmo no sentido de analisar a si próprio, já que tudo aquilo que você mais deseja, é obter aquilo que você inveja. Nisto a sua inveja pode vir a ser boa para você, no mais, ela somente te destrói.

E para encerrar o texto de hoje, cito uma frase de Niceto Zamora: “Os ataque de inveja são os únicos em que o agressor, se pudesse, preferia fazer o papel da vítima.”
Mariceli Bernini é psicóloga formada pela Universidade Estadual de Londrina e possui Consultório de Psicologia em São João do Ivaí.

 

Adicionar a favoritos link permanente.

2 Comments

  1. Olá, como vai?
    Respondendo à tua pergunta: todos os seres humanos sentem inveja, é algo inerente à condição humana. E isso se deve ao fato de que em algum momento ou em vários momentos de nossas vidas nos comparamos com as demais pessoas e também por conta de nossa vaidade.
    Dependendo de como estamos fortalecidos internamente, ou não, e de como anda nosso egocentrismo, a inveja pode ser branda ou extrapolar os limites da normalidade. Por isso existe a inveja sutil ou a inveja doentia.
    É totalmente possível que uma pessoa seja sincera com a realização e felicidade de outra pessoa, neste caso, a admiração é mais forte que a inveja, embora haja ambas.
    Um abraço para você, obrigada pelo comentário.

  2. INTERESSANTE SIM ESTE TEXTO, MAS PERGUNTO ; VC ACREDITA QUE HÁ PESSOAS QUE REALMENTE NÃO INVEJAM E QUE QUANDO ALGO DE BOM ACONTECE COM ALGUM CONHECIDO,AMIGO, OU PESSOA PRÓXIMA , .NÃO SEJA CAPAZ DE INVEJAR E SIM APLAUDIR COM SINCERIDADE , E FELICITAR-SE POR ISSO ?

Deixe uma resposta