Mãe e filha morrem em acidente entre Campo Mourão e Farol

Acidente 02

Fotos: Nelson Silva

itribuna/Walter Pereira

Mãe e filha morreram em um grave acidente nesta sexta-feira (20) envolvendo quatro veículos. A colisão, entre dois caminhões e dois veículos de passeio, ocorreu na BR-272, por volta das 13h30, entre Campo Mourão e Farol, próximo a Pousada Fazendinha. Maria da Conceição Farias, 74, e Imara de Andrade Mazzucheti, 52, morreram no local. Maria teve a cabeça decepada. Com o impacto da batida as duas vítimas foram lançadas para fora do carro. Elas moravam em Campo Mourão.

Segundo informações pré-liminares repassadas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), ao todo, cinco pessoas foram encaminhadas com ferimentos ao Pronto Socorro, entre elas um bebê. O motorista do caminhão que teria provocado o acidente ficou em estado de choque. A polícia aguarda ele se recuperar para interrogá-lo.

O acidente envolveu um Caminhão Mercedes Benz de Pato Branco, um Ford Cargo de Gaspar (Santa Catarina), um veículo Ford/Fiesta com placas de Farol e um VW/Passat, de Campo Mourão. As vítimas estavam no Passat, que ficou totalmente destruído. Segundo informações levantadas no local, o Ford Cargo seguia sentido Campo Mourão, quando em uma reta atravessou a pista e acertou os outros veículos que seguiam no sentido contrário. O caminhão bateu de raspão no Mercedes e atingiu em cheio os outros dois carros de passeio que seguiam atrás do mesmo.

O Ford Cargo arrastou o Passat por cerca de 10 metros e caiu em um barranco de cerca de 5 metros de altura, à margem da rodovia. O motorista do Mercedes, Moacir Tavares, que saiu ileso do acidente, informou que saiu de Pato Branco e seguia até Goioerê, onde deixaria um trator e uma roçadeira. Ele disse que por muito pouco não foi atingido em cheio. “Ele ia acertar bem no meio da minha carroceria, mas ainda consegui tirar. Foi muito rápido”, informou assustado. Segundo Tavares, o motorista do Ford Cargo atravessou a pista de repente. “Ele vinha sozinho e não tentava ultrapassagem. Não sei o que aconteceu. Acredito que tenha passado mal ou cochilado ao volante”, informou.

Tavares disse que trabalha há 34 anos de motorista de caminhão e nunca tinha presenciado um acidente como este. “Eu renasci. Se me acertasse eu teria morrido”, comentou. Ele fez o teste de etilômetro e deu negativo. As duas vítimas fatais foram encaminhadas ao Instituo Médico Legal de Campo Mourão (IML). Leia a reportagem completa na versão impressa da TRIBUNA de amanhã.

Fotos: Nelson Silva

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta