Professores estaduais mantêm greve

Da Gazeta do Povo

A greve dos professores estaduais continua nesta quinta-feira. Apesar de integrantes do Sindicato dos Professores do Paraná (APP-Sindicato) terem se reunido ontem com o governador Beto Richa por mais de duas horas, os acordos entre as partes não avançaram. Em mais um encontro marcado para hoje, o poder público deve apresentar uma contraproposta à categoria.

Levantamento feito pela Secretaria de Estado da Educação apontou que 22,34% das 2.149 escolas estaduais paralisaram totalmente as atividades ontem, e 53,5% parcialmente. A APP-Sindicato discordou, disse que 70% das unidades aderiram totalmente à greve.

“Tivemos uma adesão muito grande das cidades do interior. Nós estamos abertos ao diálogo e à negociação e estamos dispostos a manter as conversas com o governo estadual”, disse a presidente da APP-Sindicato, Marlei Fernandes. A categoria acampou em frente do Palácio Iguaçu ontem e lá manterá o “quartel-general” do movimento.

O sindicato defende que o principal motivo da greve é o descumprimento pelo governo de compromissos assumidos no fim do ano passado. A categoria lista oito temas na pauta de reivindicações.

Uma das principais reivindicações é aumento da hora-atividade – período em que os professores não entram em sala, mas se dedicam à formação continuada, correção de provas e planejamento de aulas. “No Paraná, as aulas possuem 50 minutos. Dessa forma para cada 20 horas semanais de trabalho seriam necessários 7 horas de hora-atividade. Hoje são seis horas”, afirmou Marlei.

Outro ponto questionado pela APP é o reajuste de 8,32% no Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN). “O governo não quer nem pagar esses 8,32%. Querem pagar só o reajuste da data-base, que deve ficar em torno de 6%”, disse Marlei. Leia Mais

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta