Plano de carreiras do Iapar será implantado a partir de junho

Agência Estadual

O governo do Paraná homologou a implantação do novo plano de carreira para os servidores do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) para ser implantado em junho. O novo plano contempla revisão da tabela salarial e enquadramento na tabela previsto para setembro.

Para o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, a revisão da tabela salarial dos funcionários do Iapar representa a valorização da pesquisa agronômica pelo Governo do Estado, que reconhece sua importância para melhorar ainda mais os níveis de produção e produtividade da agropecuária paranaense.

Em reunião com os servidores, a direção do Instituto Iapar informou que o pagamento da nova tabela será feito em junho e que os ganhos decorrentes de ajustes adicionais da transposição para a nova tabela serão creditados em setembro.

De acordo com o diretor-presidente do Iapar, Florindo Dalberto, a concretização do Plano de Carreiras resolve o grave problema da defasagem salarial e possibilita à direção centrar esforços, a partir de agora, na viabilização do concurso público para recomposição do quadro de pessoal. A implantação do novo Plano de Carreiras gerará um impacto de 33% na folha de pagamento do Iapar, o que equivalente a R$ 1,29 milhão por mês.

O diretor-geral da secretaria estadual de Agricultura e do Abastecimento, Otamir Cesar Martins, lembrou a complexidade da tramitação de um plano de carreiras nas diversas instâncias do governo e ressaltou o espaço para a participação dos servidores e entidades que os representam nas negociações. “Este é um governo de diálogo”, disse.

HISTÓRICO – A direção do Iapar começou os estudos para formular uma proposta de plano de carreiras, ainda em 2011, com base em amplo processo de participação de representantes das diversas categorias de servidores e, também, do Sindicato dos Servidores Públicos Estaduais na Área de Pesquisas Agrícolas e Agropecuárias do Estado do Paraná (Sindpar), do Sindicato dos Engenheiros do Paraná (Senge-PR) e do Sindicato dos Técnicos Agrícolas de Nível Médio no Estado do Paraná (Sintea).

A proposta foi aprovada pela Assembleia Legislativa do Paraná e resultou na Lei nº 18.005/2014, sancionada em 27 de março.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta