Responsável pela morte de bebês e mutilações, falso médico do SUS vai ao Tribunal do Júri

 Bonde com Justiça Federal do Paraná

juriA 1ª Vara Federal de Campo Mourão decidiu que os réus Cláudio Baggio, Douglas Juliano Guimarães e Guimarães, Oscar Herbert Ponce de Leon Aylas e Odilon Andreoli Gonçalves, serão julgados pelo Tribunal do Júri pelos crimes de homicídio qualificado (por duas vezes, com exceção do último acusado), lesão corporal gravíssima resultante de deformidade permanente e estelionato contra o Sistema Único de Saúde (SUS). 

O Ministério Público Federal denunciou Baggio por ter exercido ilegalmente a profissão de médico no Hospital Regional de Roncador (100 km ao sul de Campo Mourão) de 2001 a 2013, realizando consultas e outros procedimentos, inclusive cirúrgicos, os quais eram pagos pelo SUS como se tivessem sido realizados pelos médicos Douglas (diretor clínico do hospital), Odilon (sócio-proprietário do hospital) e Oscar, os quais assinavam por aquele receituários e outros papéis.

Em decorrência dessa fraude, Cláudio causou lesões em diversos pacientes (inclusive amputação de um dedo de uma paciente menor) e até mesmo a morte de dois bebês, devido a complicações após os partos que realizou. 

Considerando que os réus não responderam ao processo presos e inexistindo requisitos para a decretação de suas custódias cautelares, foi-lhes concedido o direito de recorrer em liberdade da sentença de pronúncia.

Adicionar a favoritos link permanente.

Comentários estão encerrados.