Internet ilimitada com os dias contados

Da Gazeta do Povo

Os clientes com planos pré-pagos que utilizam internet móvel devem ficar atentos para as mudanças em suas operadoras. A Oi e a Vivo anunciaram que não oferecerão mais a possibilidade de internet com velocidade reduzida a seus clientes. A medida é uma tendência entre as operadoras e deve crescer nos próximos anos. Mas, afinal, o que muda para o cliente?

A partir de agora, os consumidores que esgotarem a capacidade de internet prevista no seu plano terão de optar por um pacote de dados adicional diário ou semanal para continuar navegando. Caso isso não seja feito, o acesso à rede será interrompido até a renovação do plano. A Oi implantará a medida a partir de 1.º de dezembro e a Vivo já adota a estratégia desde 6 de novembro para os clientes de Minas Gerais e do Rio Grande do Sul, devendo ampliar para o restante do Brasil até o fim do ano (confira como ficarão os planos no infográfico ao lado). Já a TIM e a Claro também não descartam a possibilidade de aderir ao fim da velocidade reduzida.

O fim da opção reduzida, que já foi vendida pelas operadoras como internet “ilimitada”, já é comum nos Estados Unidos e na Europa, e no futuro pode também se estender para os planos pós-pagos. Segundo as empresas, o modelo de velocidade reduzida pode criar uma “percepção negativa” sobre os serviços prestados e seu fim é um “movimento natural”.

Para Samuel Rodrigues, analista sênior de telecomunicações da consultoria IDC Brasil, as mudanças exigirão que o cliente entenda seu perfil de usuário de internet móvel e escolha um pacote que seja mais econômico. “Antes o cliente usava a internet e, se a franquia se esgotasse, não pagava nada a mais pela velocidade reduzida. Agora, se exceder seu plano, ele vai sentir no bolso e vai ter que dimensionar o consumo”, explica. Segundo ele, a velocidade normal da internet pode trazer uma melhor experiência de uso para o usuário, já que a navegabilidade é prejudicada com a velocidade reduzida. Leia Mais

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta