Homem é morto em Fênix com tiro de 12 na cabeça

Foto e informações Coluna do Rato

SAM_2245-640x424O crime aconteceu no início da manhã desta quinta-feira (12) mas a polícia só tomou conhecimento do fato no final da tarde, por volta das 17h30min, quando uma pessoa que presenciou o crime se apresentou e relatou o ocorrido.

De acordo com as informações de Claudio Rodrigues dos Santos, ele e seu companheiro de pescaria, conhecido por kleber Figueira da Silva, de 37 anos de idade, haviam acabado de sair do Rio Ivaí, na localidade conhecido como “Magnatas” e retornavam para a cidade de Fênix, quando segundo ele, teriam sido surpreendidos por um disparo de arma de fogo que atingiu a cabeça de kleber. Ainda segundo as informações, após saírem do Rio, haviam carregado uma charrete com capim e os dois seguiam por uma estrada, sentido  a cidade de Fênix, quando aconteceu o disparo.

“Eu estava ao lado do kleber e só escutei o barulho, olhei pro lado e vi ele caído e espumando pela boca, do jeito que estava a cabeça dele vi que ele não tinha jeito, então só tive tempo de correr e me esconder no mato, não vi ninguém”; disse Claudio.

Perguntado ao rapaz se ele tinha conhecimento de alguma ameaça contra Kleber, ele disse que não podia afirmar nada, mas que quando andava com ele tomava certo cuidado.

Claudio afirmou que em seguida escutou o barulho de motor e acredita que seria dois carros que saíram do local após o disparo. Ele disse que ficou escondido desde as 08h30min até por volta das 17 horas, quando procurou ajuda.

Policiais Civis de Engenheiro Beltrão estiveram no local e no destacamento da PM de Fênix, onde conversaram com a testemunha e teriam questionado várias informações repassadas por ele, já que ele ficou cerca de 09 horas escondido até procurar a polícia para relatar o fato.

Kleber morava na Vila Subistação e era muito conhecido por ser pescador e comercializar peixes. O corpo foi recolhido pelo IML de Campo Mourão.

A Polícia Civil deve levar a testemunha até Engenheiro Beltrão para continuar as investigações.

O corpo foi encontrado ao lado da estrada, sobre uma plantação de soja, e pelas marcas de sangue, ficou caído no mesmo local onde provavelmente recebeu o tiro, já que o disparo arrancou parte da cabeça, naturalmente ele não deve ter tido nenhuma reação após ser alvejado, tombando morto na hora. Uma das partes do cartucho, o plástico que separa a pólvora do chumbo, foi encontrado no meio da estrada (conforme imagem). São questões que cabem agora a Polícia Civil desvendar. A testemunha disse que eles estavam em uma charrete, por volta das 08h30min da manhã, seguindo para Fênix e não viu quem atirou.

 

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta