Greve dos caminhoneiros afeta serviços públicos e Regina anuncia medidas provisórias

Da Assessoria

20150225_175504A greve dos caminhoneiros tem afetado vários setores da economia, como também os serviços públicos. Em São Pedro do Ivaí, a prefeita Maria Regina Della Rosa Magri tomou medidas provisórias para que os serviços emergências e prioritários não tenham que parar, principalmente pela falta de combustíveis na cidade.

Segundo a prefeita, a greve é legítima, mas já afetou o abastecimento frota e os fornecedores de alimentos encaminharam documento justificando que com a paralisação é impossível cumprir o frete. “Como que vamos trabalhar normalmente com a escassez de combustível. A situação também se agrava no caso da merenda escolar, uma vez que a transportadora está parada”, esclarece.

Diante da situação, o executivo convocou uma reunião na manhã de ontem (25) com todos os secretários e chefes de departamentos para expor a medida emergencial. No gabinete, Regina e o vice-prefeito José Donizete Isalberti pediram a colaboração de todos, afirmando que no momento a prioridade é os atendimentos de urgência e emergência na saúde e a limpeza pública da cidade.

Ainda ficou decidido que as aulas na rede municipal estão garantidas até a próxima sexta-feira (26). “Existe estoque de merenda para mais dois dias. Se a greve não acabar, vamos ter que manter as aulas suspensas”, lamentou. O transporte escolar também precisou ser paralisado, devido à falta de óleo diesel. “Os alunos da zona rural vão estudar em casa com atividades extraclasse, encaminhadas pelas escolas”, amenizou a prefeita.

No final da tarde, a chefe do executivo se reuniu com todos os servidores que trabalham no Pátio de Máquinas para pedir que também colaborem no momento de crise. “Eu peço que todos os servidores que ficarão impossibilitados de realizar suas funções nesse período de contenção ajudem nos outros setores, como a limpeza pública que precisa muito de voluntários para que a cidade fique bonita e as obras que estão finalizadas sejam preparadas para as inaugurações”.

Regina acredita que a situação deve voltar ao normal assim que a greve acabar, quando os transportes de alimentos e combustíveis serão normalizados. Por outro lado, ela comenta que não existem expectativas positivas para este ano diante das crises enfrentadas no estado e em todo o país. “Os serviços vão voltar ao normal, mas nem por isso temos que deixar de economizar e ter cautela com os gastos. O país está em crise, e a minha atitude será de amenizar a situação, fazendo com que as contas do município estejam sempre em dia”.

 

Adicionar a favoritos link permanente.

Comentários estão encerrados.