Adolescente de São João do Ivaí presta depoimento em Maringá

Informações André Almenara

16139280983_1847f2f5aa_zA adolescente de 16 anos que estava desaparecida e poderia ajudar a esclarecer a morte da jovem Natália Jeane Germano de 19 anos foi localizada na manhã desta segunda-feira (9) na cidade de Londrina. A menor estava na casa de um tio que é agente penitenciário de Londrina. A adolescente que mora em São João do Ivaí estava atualmente residindo em Maringá por conta de um desentendimento com a família. A adolescente foi trazida para Maringá sob escolta da delegacia de homicídios.

Em seu depoimento que durou cerca de 3 horas, a adolescente contou tudo que sabe para o delegado Diego Elias. A testemunha relatou que estava com a Natália na casa de Jhon na quinta-feira passada na companhia de mais alguns colegas quando a própria Natália criou a expectativa de uma brincadeira com a arma de fogo, a tal da roleta russa. A menor disse que então pegaram o revólver que aparece na foto, colocaram 1 munição no tambor e a adolescente foi a primeira.

O Vitor Hugo de Lima que é suspeito de ter atirado em Natália puxou o gatilho que não disparou. Natália então foi chamada para participar da roleta russa. Na segunda tentativa a arma atirou acertando a cabeça da jovem que morreu na hora. A adolescente confirmou que Vitor Hugo realmente matou Natália Germano. Sobre a foto que foi tirada minutos antes onde mostra o grupo na sala, a menor falou que quem tirou a foto foi Jhon. Natália foi assassinada então na tarde de quinta-feira (5). Depois que o crime foi consumado, os suspeitos trancaram a casa e deixaram o corpo no local levando a adolescente para um bar para combinar o que ela falaria caso desse errado.

A adolescente foi recomendada por Jhon caso ela falasse para a polícia que a menor seria morta. Em seu depoimento, a menor em lágrimas contou que só deixou a cidade por conta das ameaças e por ter presenciado a morte de uma amiga. “Fiquei com medo e voltei para São João do Ivaí, mas lá todos estavam sabendo que eu tinha presenciado um assassinato, então decidi ir pra casa de um tio em Londrina” disse a adolescente.

O delegado Diego Elias quer agora identificar todos os outros rapazes que aparecem na foto com as duas jovens. Diego Elias ainda ressaltou que a adolescente já colaborou com seu depoimento e por isso foi liberada.

 

 

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta