Parceiro de corrida de Richa chefiava quadrilha para desvio de verba, diz MP

Do G1

4051037_x360O funcionário público Márcio de Albuquerque Lima, ex-inspetor geral de fiscalização da Receita Estadual, é apontado pelo Ministério Público (MP-PR) como líder de uma quadrilha que desviou milhões de reais do órgão. Ele tem relação direta com o governador Beto Richa (PSDB), de quem foi companheiro de equipe em corridas de automobilismo, segundo a Promotoria.

Lima está foragido. O escritório dele já havia sido vasculhado pelo Grupo de Atuação Especial de Combate do Crime Organizado (Gaeco), em 5 de março, em uma operação que investigava o enriquecimento ilícito dele. No entanto, ele foi exonerado do cargo três dias antes do cumprimento do mandado.

Segundo o MP, os fiscais deixavam de autuar empresários que sonegavam impostos em troca de propina. Apenas um dos investigados, por exemplo, deixou de pagar R$ 7 milhões com a colaboração dos fiscais, conforme aponta a investigação.

Outras 17 pessoas, acusadas de participar da quadrilha, foram presas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate do Crime Organizado (Gaeco) nesta sexta-feira (20). Elas foram denunciadas por enriquecimento ilícito de auditores fiscais e servidores, lavagem de dinheiro e pagamentos de propina.

O Gaeco ainda cumpriu cerca de 30 mandados de busca e apreensão em Curitiba, Londrina,Ibiporã, Bandeirantes, Maringá, Campina Grande do Sul e Alvorada do Sul, todas no Paraná, Além disso, mandados também foram cumpridos em Palmital (SP), Angra dos Reis (RJ) e no Rio de Janeiro (RJ).

As prisões fazem parte da Operação Publicano, ligada a outras duas investigações: uma sobre exploração sexual de meninas e outra que apura uma fraude em uma licitação para o conserto de carros oficiais. No último caso, o esquema também era liderado por alguém ligado a Beto Richa -Luiz Abi Antoun, parente do governador. Leia mais

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta