Em gravação, ex-presidente do TCE demonstra conhecimento de suposta fraude em licitação

Artagão de Mattos Leão-AM (11)-3392-kTID-U10809651985xCH-1024x683@GP-WebInterceptações telefônicas feitas pelo Gaeco, braço do Ministério Público, mostram que o ex-presidente e atual conselheiro do Tribunal de Contas (TC-PR), Artagão de Mattos Leão, pelo menos desconfiava de problemas na licitação de R$ 36,4 milhões para construir um anexo ao prédio, no ano passado.

A gravação vai na contramão do que afirmou Artagão em entrevista à Gazeta do Povo, ontem, na qual negou ter conhecimento da suposta fraude na concorrência.

Na escuta, o então diretor-geral do TC, Ângelo Bizineli, liga para o presidente para avisar que agentes estavam vasculhando a sala dele. Bizineli diz não saber o motivo da revista. “Eu acho que é sobre a licitação do prédio”, responde Artagão.

O então presidente pergunta onde está “LB”, em uma abreviação para Luiz Bernardo Dias Costa, ex-coordenador-geral do tribunal. Bizineli diz que ele ainda não havia voltado do horário de almoço. “Será que não prenderam o Luiz Bernardo?”, pergunta Artagão.

Em seguida, ele pede para que Bizineli ligue para Luiz Bernardo. “Liga pra ele suspender qualquer ação que tiver, qualquer ação imediatamente”, pede.

Em outro momento do telefonema, Artagão diz que a situação com o Gaeco era “uma vergonha” para eles.

Por ter foro privilegiado, Artagão está sendo investigado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). A sindicância, porém, está parada há seis meses.

Propina 

Leia mais na Gazeta do Povo

 

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta