Prefeitos da Amuvi discutem segurança, iluminação pública e FPM

Da Assessoria

DSC_0355Os prefeitos da região discutiram na última sexta-feira (10), durante reunião da Associação dos Municípios do Vale do Ivaí (Amuvi), realizada em Marumbi, assuntos como segurança pública, iluminação pública, corte na cota extra do FPM (Fundo de Participação dos Municípios), dentre outros. A pauta de segurança foi discutida junto com o tenente-coronel Aimoré Nunes Moreira, comandante do 10º Batalhão da Polícia Militar (BPM) de Apucarana.

Vários prefeitos reivindicaram soluções para seus municípios, reforçando um pedido da prefeita de São Pedro do Ivaí, Maria Regina Della Rosa Magri, que incansavelmente tem colocado o assunto na pauta das reuniões, afirmando que a situação está ficando insustentável. “Quando iniciei essa campanha por São Pedro do Ivaí outros prefeitos se sensibilizaram, e agora a questão segurança ganha proporções maiores e iremos buscar soluções junto à secretaria de estado”, afirmou Regina.

O tenente-coronel Aimoré disse que da sua parte tem feito o que pode para aumentar o efetivo policial, uma das principais reivindicações da região. Quanto as explosões de caixas eletrônicos, ele disse que pediu e a secretaria de Segurança Pública já mandou uma equipe do BOPE (Batalhão de Operações Especiais) ao Vale do Ivaí, anunciando que em breve haverá novidades para diminuir este tipo de crime.

Mesmo com compromisso firmado pelo tenente-coronel, os prefeitos prometeram agendar uma reunião com o secretário de estado para buscar soluções imediatas. Na questão de iluminação pública, o prefeito de Ivaiporã e presidente da Amuvi, Luiz Carlos Gil, anunciou que a associação conseguiu na justiça Federal sentença favorável que desobriga as prefeituras a assumirem os serviços de manutenção.

Segundo ele, pelo processo, 23 prefeituras estão isentas de assumir o sistema de iluminação, no entanto, a ação ainda cabe recurso. Mas um assunto que sempre toma conta dos encontros com os prefeitos é o FPM. Dessa vez não foi diferente e vários prefeitos fizeram discursos inflamados sobre o assunto, reclamando, principalmente, do corte pela metade que o governo federal fez no repasse extra do FPM.

Gil levou a debate o não cumprimento do acordo feito entre a União e a frente municipalista. “Não foi isso que foi combinado entre o movimento e a presidenta Dilma na marcha dos prefeitos a Brasília em 2013”, destacou. “Enquanto os repasses do FPM caem, o custo da máquina administrativa aumenta. É uma palhaçada o que está acontecendo, e nós prefeitos que temos que pagar a conta”, desabafou o prefeito de Lidianópolis, Celso Antonio Barbosa, o Magrelo.

A prefeita de São Pedro do Ivaí, que é vice presidente da Amuvi, também reclama da atual situação. “Os municípios estão recebendo o repasse pela metade, e de surpresa, o que acaba prejudicando o planejamento administrativo, vindo a comprometer muitos serviços. Esta situação não pode ser encarada sem luta, como todas as pautas que aqui discutimos. Vamos continuar bancando esta luta para que os governos nos olhem e tragam soluções para nossas populações”.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta