Sérgio Souza homenageia os 45 anos de existência Embrapa

Câmara dos Deputados homenageou, nesta quinta-feira (26), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) pelos seus 45 anos de existência. Autor do pedido para realização de sessão solene, o deputado federal Sérgio Souza (MDB-PR) destacou os relevantes serviços prestados nas áreas de tecnologia e pesquisa que a empresa vem prestando ao desenvolvimento do setor produtivo.

Sérgio Souza fez um comparativo das condições da agropecuária antes e pós existência da Embrapa e mostrou o grande salto de produtividade do Brasil. “O aumento da área cultivada no Brasil é insignificante, quando se compara ao aumento da produtividade. Nós saímos de um país importador de alimentos na década de 60/70 para o segundo maior produtor de alimentos do planeta”, afirmou.

O parlamentar enalteceu os servidores e afirmou que todo o sucesso da agropecuária do Brasil advém dos esforços de seus colaboradores. “São eles que desempenham suas atividades com excelência e o resultado é visto no desenvolvimento agrícola”, argumentou Sérgio Souza.

Para Sérgio Souza, o Brasil será o maior produtor de alimentos do mundo. “Temos fatores climáticos e culturais que nos favorecem. Além disso, a necessidade global determinará isso. O mundo consumirá, até 2050, 50% a mais de alimentos”, concluiu.

Embrapa

O presidente da Embrapa, Maurício Lopes, aproveitou a solenidade para agradecer a homenagem prestada à empresa. Enfatizou que o futuro é o principal insumo para uma instituição de pesquisa e inovação como a Embrapa. “Se nós não conseguirmos fazer boas leituras do futuro, do que está despontando no horizonte, talvez não consigamos fazer boas escolhas”, argumentou.

Maurício comentou, ainda, que a Embrapa lançará nos seus 45 anos, com o olhar no futuro, a agenda mais importante para o mundo, a “Agenda 2030”, composta pelos 17 objetivos do desenvolvimento sustentável. “Se atentar para esta agenda se tornou não só um imperativo, não só para os países, mas todos os indivíduos. OS 17 objetivos são um guia, um norte para construirmos no horizonte de 2030 uma sociedade mais sustentável, mais justa”, enfatizou o presidente da Embrapa.

Confederação

O vice-presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Muni Lourenço, afirmou que não há como dissociar o desenvolvimento da produção rural do país, que antes da Embrapa não se destacava no contexto mundial da produção de alimentos. “As tecnologias desenvolvidas por esta empresa se transformaram em uma potência de produção de alimentos para a sua população e o mundo”, afirmou.

 

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta