Polícia Federal aumenta número de apreensões e prisões no Paraná durante a pandemia

Curitiba/PR – A Polícia Federal apreendeu, na tarde de desta segunda-feira (23/03),  240 kg de cocaína escondidos em uma carga de 10 toneladas de papel A4, no Porto de Paranaguá, no Paraná.

A droga, que foi localizada durante os trabalhos de rotina dos policiais federais, com o apoio da Receita Federal, estava escondida em dois contêineres, no meio de carga de papel A4. O destino da droga seria a Europa.

Na última quinta-feira, foram mais de 760kg de cocaína pura, encontrados pela Receita Federal e apresentada à PF, em outro carregamento.

Apesar das restrições impostas pela pandemia do coronavírus, as limitações de trânsito de pessoas nas fronteiras e a paralisação parcial de atendimento na esfera administrativa da Polícia Federal, as investigações e a repressão ao tráfico de drogas e ao crime organizado não param.

Ainda em Paranaguá, no último domingo, a PF atuou em cooperação com Polícia Militar do Paraná, prendendo 12 suspeitos de integrarem facção criminosa, os quais estavam portando armas, munições e lacres utilizados em contêineres. O flagrante foi lavrado na Delegacia da Polícia Federal local, pelos crimes de posse irregular de arma de fogo, porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e associação para o tráfico de entorpecentes. No dia seguinte, os presos foram escoltados até a penitenciária em Piraquara/PR.

Na região de Guaíra/PR, cidade que faz fronteira com o Paraguai, e onde diariamente são realizadas apreensões e prisões em flagrante; no último sábado, policiais federais, em operação conjunta com outros órgãos policiais,  realizaram outra grande apreensão, totalizando dois caminhões, cinco automóveis e uma grande embarcação, além da prisão em flagrante de dois suspeitos pelo crime de contrabando de cigarros. A apreensão dos cigarros contrabandeados chegou a 2.200 caixas de cigarros, um milhão e cem mil carteiras de cigarros, causando, somadas aos veículos, um prejuízo de seis milhões de reais para as organizações criminosas envolvidas.



Comunicação Social da Polícia Federal em Curitiba/PR

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta